A ideia de reunir os membros das várias circunscrições que integram a “Grande Família Agostiniana” do Brasil se concretizou pela primeira vez em 1975, de 14 a 17 de janeiro, no chamado 1º Encontro Nacional Agostiniano, em Itaici-SP. Naquele ano se celebravam os 75 anos da chegada dos Recoletos e dos Agostinianos ao Brasil (1899 – 1975). O tema central do encontro foi a “Reflexão vivencial sobre a vida e a doutrina de Santo Agostinho”. Entre outras personalidades, estiveram presentes o então Prior Geral da OSA, Fr. Theodore Tack e o Cardeal de São Paulo, Dom Paulo Evaristo Arns. Os grandes entusiastas e inauguradores desse tipo de encontro foram o Pe. Pablo Luna, OSA e Fr. Hylton Miranda Rocha, OAR (“in memoriam”), o qual seria a alma dos dois encontros seguintes.

1º Congresso Fabra

1º Congresso Fabra

Essa feliz iniciativa produziu um inquieto desejo de novos encontros. Assim, de 02 a 06 de fevereiro de 1981, também em Itaici, se realizou o 2º Encontro, cujo tema foi a “Oração, contemplação e vida comunitária em Santo Agostinho”. As conferências foram desenvolvidas por Fr. Manuel Larrínaga, OAR e Fr. José Rodríguez Díez, OSA (“in memoriam”). De 02 a 06/O1/84, no Centro Santa Fé-SP, acontecia o 3º Encontro, já chamado de Congresso, com a reflexão “Eclesiologia no pensamento do Hiponense”, dirigida por Fr. Fernando Antônio de Figueiredo, OFM que, no final do encontro, recebia a sua nomeação como Bispo Auxiliar de Teófilo Otoni-MG.

Já o 4º Congresso (05-09/O 1/87), ocorrido no Colégio Agostiniano Mendel-SP, se celebrou no marco do XVI Centenário da Conversão de Santo Agostinho, abordando o significado da conversão na vida e na obra do Doutor da Graça e na realidade latino-americana. Na Eucaristia de encerramento, Dom Luciano Mendes de Almeida, SJ (“in memoriam”) despertava os Agostinianos e Agostinianas para a busca de sua identidade, no serviço da Igreja e do povo brasileiro: resgatar e divulgar Santo Agostinho, suas obras e sua espiritualidade, tornando-se presença relevante e ativa na vida eclesial e social, através de uma autêntica vida comunitária agostiniana.

Aquele encontro deu um passo a mais em relação aos anteriores com a proposta da criação da “FEDERAÇAO AGOSTINIANA BRASILEIRA” – FABRA, que se efetivou na reunião fundacional no dia 25 de fevereiro de 1988 na Residência da Vice-Província do Santíssimo Nome de Jesus no Brasil, em São Paulo, na presença de Superiores(as) Maiores de treze circunscrições agostinianas.

A Federação nascia com o propósito de dinamizar os encontros e promover o intercâmbio de experiências e colaboração mútua em vários setores entre os diferentes grupos que viessem a integrá-la, além de estimular outras atividades comuns, como a edição das obras de Santo Agostinho em português, por exemplo. Na ocasião, a presidência foi constituída da seguinte forma: Presidente, Fr. Francisco A. Morales Cano, OSA, Vice-Presidente, Fr. José Luís Martínez, OSA e Tesoureiro-Secretário, Fr. Enéas Berilli, OAR.

De 08 a 12/01/90 se realizava o V Congresso, no Colégio Agostiniano Mendel-SP, com o tema “Santo Agostinho, Pastor de Almas”. Entre outros, estiveram presentes o Prior Geral dos Agostinianos Descalços, Fr. Eugenio Cavaliari; Dom Florentino Zabaiza. OAR, Bispo de Lábrea; Fr. Jesús Guzmán, OSA, Assistente Geral para América Latina. A Eucaristia de encerramento foi presidida por Dom Décio Pereira, Bispo Auxiliar de São Paulo. Entre os frutos do encontro, destacou-se: o incentivo à continuidade e aprofundamento dos encontros de formadores; a proposta de um encontro de formandos; uma primeira relação das obras agostinianas em português, desde 1940 (elaborada pela Ir. Nair de Assis Oliveira, CSA); o caderninho com os Estatutos, endereços e relação dos religiosos(as) da FABRA; propostas da criação da comissão de historiadores e comissão de educadores. Durante o encontro foi eleita a equipe da nova Diretoria, assim constituída: Presidente, Ir. Rita Cola, MAR; Vice-Presidente, Fr. José Luís Martínez, OSA e Tesoureiro-Secretário, Fr. Enéas Berilli, OAR.

A equipe de governo eleita em março de 1992 foi a seguinte: Presidente, Fr. José Luis Martínez; Vice-Presidente, Pe. João Bosco Dubot, AA e Tesoureiro-Secretário, Fr. Enéas Berilli, OAR.

Em 1993 o VI Congresso aconteceu na Casa Anchieta, os temas abordados foram: O homem Espiritual que transcende a história até os nossos dias e a Cidade de Deus e a sua atividade para a nova evangelização. Os palestrantes foram Maria Grazia Mara; D. José Luís Azcona, OAR e frei Luiz Augusto de Mattos, OSA.  O VII Congresso também realizado na Casa Anchieta em São Paulo tratou sobre a Espiritualidade de Santo Agostinho, encarnada na América Latina e Brasil, a partir da práxis da interioridade com o título de “Oração e Compromisso em Santo Agostinho. D. José Luís Azcona, OAR, D. Francisco Xavier Hernández, OAR; frei Luiz Antônio Pinheiro, OSA e Mariana Sérvulo da Cunha foram os palestrantes de então. O VIII Congresso Nacional Agostiniano ocorreu de 05 a 08 de janeiro de 1999 no Colégio Santo Agostinho em São Paulo. Teve como tema “Bíblia em Santo Agostinho”.

A partir do IX Congresso todos foram realizados no Centro Pastoral Santa Fé – São Paulo. Este realizado 2002 o tema foi: “Espiritualidade Agostiniana e os desafios da Evangelização”. De 10 a 13 de janeiro realizou-se o X Congresso com o tema: “Inquietude Agostiniana: Caminho para o diálogo, comunhão e missão”. O XI Congresso foi de 05 a 09 de janeiro de 2009 e o tema proposto foi “Da cidade dos homens a cidade de Deus” buscando que a Cidade de Deus de Agostinho iluminasse o homem de hoje.  O XII Congresso, realizado no Hotel Santo Agostinho em Bragança Paulista, o tema foi:  “Espiritualidade Agostiniana” abordou sobre o carisma Agostiniano, tendo como base os três pilares: Interioridade, Comunidade e Serviço à Igreja.

As comissões da FABRA compreendem as várias atividades que as entidades associadas mantém: Formação, História, Devocionário, Espiritualidade e Educação. Vale ressaltar que a Comissão de Educação é a que mais tempo tem funcionado.

            A Atualmente o Presidente da FABRA é o padre Luiz Carlos de Oliveira, AA. A FABRA continua desenvolvendo seu papel de congregar a Família Agostiniana do Brasil, buscando que ela viva de maneira mais profunda a espiritualidade de Nosso Pai Santo Agostinho criando unidade na diversidade das irmãs e irmãos Agostinianos.

Atualmente somos as seguintes famílias:

Agostinianas Filhas do Santíssimo Salvador

Agostinianas Missionárias – AM

Agostinianas Servas de Jesus e Maria  ASSJ

Congregação das Irmãs Oblatas da Assunção OA

Congregação das Irmãzinhas da Assunção IA

Irmãs Negras de Santo Agostinho de Bethel

Missionárias Agostinianas Recoletas MAR

Ordem Agostiniana Recoleta  OAR – Santa Rita

Ordem Agostiniana Recoleta  OAR – Santo Tomas de Villanova

Ordem Agostiniana Recoleta  OAR – São Nicolau de Tolentino

Ordem Agostinianos Descalços OAD

Ordem das Cônegas Regulares do Santo Sepulcro CRRS

Ordem de Santo Agostinho OSA – Província Agostiniana do Brasil

Ordem de Santo Agostinho OSA – Vicariato N. Sra. Consolação

Padres Assuncionistas AA

Religiosas da Assunção RA

(Texto base: Resenha Histórica da Grande Família Agostiniana do Brasil, FABRA 1992)